9 Ideias De Becas

Samba de pasarela modelo hermosa

A pessoa não deve conseguir-se e até aprender que a felicidade, o bem-estar pessoal significa., a prosperidade, o poder, o progresso e outra vida feliz calma continuam desejos naturais de um e cultivam-se por todo o dispositivo de uma civilização.

Haverá a sua forma pública, ele e serão morais. As morais apontam de pessoas o amigo em um que existe inicialmente, a qualquer relação entre eles e é possibilidades destas relações. Não é necessário para que a experiência prática da cooperação morais. Mas sem morais esta experiência da cooperação não pode realizar-se.

A característica da pessoa de Schweitzer de um que integralmente combinou qualidades que se considera que é mutuamente exclusivo: de uma licença de, individualismo, um racional, com o outro — ato de abnegação moral.

diz não que foi, é ou será. Diz que tem de ser. Moral um é impossível não verificar nem a confiança, nem eficiência. As morais não encontram o quarto nem em, nem em ações. Só mede-se pelos esforços dirigidos à sua implementação. Por isso as morais têm o caráter autoobrigatório.

Assim, os termos "ética", "as morais", "" são aproximadamente mesmo segundo os conteúdos e a história da emergência. A ética pode considerar que - se dão pelos Deuses. E pode afirmar que são umas circunstâncias históricas. Estas duas olhadas levadas a sério no seu sentido direto e obrigatório, dê não simplesmente duas compreensões diferentes, mas também duas condições diferentes de morais.

As morais como a forma pública de relações humanas que fazem possível todos outro, relações detalhadamente causadas entre eles como tal subida de que se dá a um razdelennost prostranstvenyono-vezes de pessoas e lhe resiste, são só imagináveis na interface para a liberdade. As leis de um por definição são gerais — nada pode resistir-lhes e limitá-los. Em um caso não seriam livres. A generalidade moral como não se considera com nenhuma circunstância que o limita, assume a liberdade como a base. De outra maneira não seria generalidade.

Numa palavra, as morais são o começo público na pessoa, une pessoas em conjunto a todos eles outras comunicações. É possível chamá-lo uma forma humana (pública) de todas as comunicações e as relações entre eles. O traçado de morais que universum em que só vida humana e como o ser humano pode.

Outro negócio — serviço moral. Não é tão óbvio. Como Schweitzer considerou, a perda de ético — razão principal do declínio da cultura — pelo seu rootedness insuficiente no pensamento. simplesmente não tem de prender-se calorosamente, mas também comprova-se profundamente. Schweitzer procurou tal fórmula de morais que não cederiam a torcimentos e que não podem ser com uma consciência clara. Achou-o em princípio um antes da vida. Só o reconhecimento da santidade da vida em todas as suas formas e manifestações dá a harmonia moral da atividade humana, o desenvolvimento cultural são de garantias e a vida concordante em um — tal são o preceito principal de Albert Schweitzer.

A afirmação de Nietzsche não pode perceber-se inequivocamente como a sua criatividade é profunda e de muitos aspectos. Embora as suas afirmações sobre morais geralmente abusem de princípios morais da sociedade não testemunha à sua inutilidade na sua compreensão. Portanto os seus trabalhos são agudos, ao mesmo tempo o filósofo foi muito tranquilo e educado.

As morais são responsáveis pela comunidade humana, também é isto une-se, une humano, fá-lo possível. Para que poderia a comunidade humana -, é necessário realizá-lo como um pervotsennost. Também faz o conteúdo de morais.

Um dos mais difíceis — e problemas teóricos e da ética é o problema da personificação de morais. Na história. os pensamentos e as culturas a olhada segundo a qual indivíduos são gentis, morais, e outros zangados, imorais e por isso os primeiros têm de ensinar o segundo dominado. É uma das deformações mais comuns e astutas de um.

Como um ponto de referência de morais é certa condição perfeita que por definição, inexaurívelmente absolutamente, não pode mas na relação negativa a nenhum estado de caixa, que sempre naturalmente, restrictedly. na sua expressão concreta, por isso, sempre tem o caráter de uma proibição. A formulação positiva neste caso significaria o paradoxo da infinidade contada.